[PITACO] BGS 2019, o que achamos esse ano da feira e como algumas coisas poderiam melhorar!

Compartilhe isso:

Como todo ano, a equipe do Game Notícia aguarda ansiosamente por mais uma Brasil Game Show, um dos nossos eventos favoritos desde sempre. E claro que estando lá todo ano, a gente tem uma percepção “nítida” da feira e por isso estamos aqui hoje para debater o que de fato aconteceu nessa BGS 2019 e o que a gente acredita que pode melhorar a feira de alguma forma.

Vamos falar primeiro da feira em si… esse ano em específico tivemos uma diversidade menor de stands de jogos. Estúdios grandes como Ubisoft e Activision, presentes na BGS desde sempre, acabaram não aparecendo no evento em 2019. Já o stand da Warner Bros. por exemplo, acabou ficando bem menor em comparação ao ano passado, com poucas novidades. Isso fez com que os fãs de videogame migrassem para outros stands para enfim jogar alguma coisa.

É claro que esse ano os estúdios em questão não tinham lá grandes anúncios para fazer na BGS e montar um stand só por montar, acaba não sendo necessário nessa situação. Porém, a jogatina acabou sendo centralizada nos três stands mais requisitados da feira (PlayStation, Xbox e Nintendo) e isso aumentou e muito a procura por jogos nesses stands.

Quem é fã de console circulou mais por essas áreas durante a feira, já que os grandes lançamentos do mercado que chegam agora no começo do ano que vem também estavam todos por lá.  E essa centralização também acabou potencializando alguns problemas atuais dos stands…

Vamos pegar o stand da PlayStation como exemplo, que diferente do seu concorrente Xbox, resolveu abolir as grandes filas pra jogar e adotou um sistema de agendamento de horários via app. Ideia muito boa na teoria, pois facilita quem quer jogar e não quer esperar muito tempo, mas péssima na prática… isso porquê com esse sistema fica praticamente impossível agendar um horário durante a feira.

A explicação para isso é que a demanda pelos jogos é muito alta e quando são abertos os horários pro pessoal agendar, todas as vagas acabam em apenas 1 MINUTO e aquele sonho de poder testar FFVII ou Avengers acaba indo por água abaixo. E isso é uma das críticas que a maioria dos jogadores fazem durante a Brasil Game Show.

Tiveram casos como o de um colega de trabalho da imprensa por exemplo, que nos disse que ficou 3 dias seguidos de evento tentando jogar um game para fazer a análise da parada e apenas no quarto dia (sábado) conseguiu. Nem no famoso “dia da imprensa” foi possível testar os jogos, uma vez que esse dia inicial da feira que serve para divulgação, também possibilita a entrada de quem é VIP e acabou virando um “dia extra” para os visitantes mais assíduos do eventos.

Outra decepção que sentimos durante a feira é a falta de atenção que as empresas dão para os fãs brasileiros de seus jogos. O fato de não ter uma demo de Pokémon Sword & Shield disponível no stand da Nintendo foi algo muito triste. Com o lançamento do jogo agora no mês que vem, seria interessante dar esse presente para os fãs do jogo, ainda mais porquê a demo esteve presente em outros eventos de games internacionais recentemente.

No lugar disso, existia apenas um espaço para os treinadores tirarem fotos com o plano de fundo da nova região de Galar (uma pena).

Agora é claro que nem tudo são críticas, pois também tivemos vários pontos positivos durante a BGS. Um deles foi a organização da feira, que esse ano estabeleceu uma melhor posição para os stands e dividiu eles de acordo com a sua categoria. Ou seja, quem curtia console tinham os stands da PlayStation e Xbox um do lado do outro, enquanto quem curte e-Sports se concentrou em outro local da feira, com stands desse segmento mais próximos do palco principal onde rolam as competições da feira.

Aliás, quem curtia jogar no PC aproveitou bastante a BGS, pois esse ano diversas marcas como Razer, Acer e Asus estavam com stands maiores e trouxeram muitos brindes para os visitantes. Quem foi pra lá a fim de comprar alguma peça ou acessório também se deu bem, pois haviam diversas promoções e uma variedade de produtos exclusiva para o evento. Além claro, da oportunidade de testar games como CoD: Modern Warfare e Ghost Recon: Breakpoint nas máquinas super potentes que as marcas ofereciam.

Uma grata surpresa esse ano foi o stand da Epic Games, que trouxe a feira o sucesso Fortnite. Essa foi a primeira participação da empresa na Brasil Game Show e logo na estreia a empresa já disponibilizou um stand de 1000m² para o seu público. As crianças claro, adoraram o espaço, justamente porquê era algo que eles sempre pediam desde sempre e finalmente esse ano a Epic atendeu os chamados.

O stand trouxe diversas atrações para os fãs de Fortnite como brindes, cosplayers dos personagens do jogo e até uma “Llama Mecânica” para os jogadores brincarem. E durante a feira ainda rolou o ínicio do evento “Fim do Mundo”, que aconteceu ao vivo no estande da BGS, levando o público ao delírio. Certamente uma das paradas mais legais da feira esse ano.

No mais é isso aí… a BGS 2019 acabou nesse domingo (13/10) e pode ter certeza que ano que vem estaremos lá de novo cobrindo e analisando todos os fatores que fazem desse evento a maior feira de jogos eletrônicos da América Latina!

Outras Notícias: